São vários os conflitos que levam as pessoas até um psicanalista. Na verdade, a psicanálise deixou há muito tempo de ser vista apenas como a necessidade de uma pessoa curar uma doença específica, como o caso da depressão, ansiedade, fobias, mas passa também a ser espaço de tratamento de doenças, as quais têm sua origem em conflitos emocionais.

Mais do que isso, a psicanálise é hoje vista como uma forma de se autoconhecer, quer no foro emocional, quer no foro intelectual, sendo que o principal resultado é um enorme bem-estar psíquico para os analisandos (clientes).

Inscreva-se gratuitamente em nosso I Congresso Online de Iniciação à Psicanálise- Vagas Limitadas.

Assim sendo, o psicanalista tem como principal objetivo fazer o diagnóstico do analisando (cliente), sendo capaz de orientá-lo na sua análise e tratamento para a sua cura.

Ele usa, para isso, duas ferramentas primordiais, as quais Freud já falava – a fala e a escuta. Como o pai da psicanálise afirmava, é necessário fazer falar e fazer ouvir, dando ao psicanalista as ferramentas necessárias para fazer um bom trabalho, seguindo alguns caminhos fulcrais para a análise: o da interpretação, o da transferência e resistência com a análise, e o da livre associação.

Assim, é possivel optar por atendimento presencial ou online, via internet através da Internet, utilizando recursos apropriados para interação com o psicanalista.

“Ao tomar uma decisão de menor importância, eu descobri que é sempre vantajoso considerar todos os prós e contras. Em assuntos vitais, no entanto, tais como a escolha de um companheiro ou profissão, a decisão deve vir do inconsciente, de algum lugar dentro de nós.

Nas decisões importantes da vida pessoal, devemos ser governados, penso eu, pelas profundas necessidades íntimas da nossa natureza.”

( Sigmund Freud)

Este site faz uso de coockies.
x