Fobia: O que é, lista das 15 fobias mais comuns – Parte 2

scared-young-woman-looking-at-camera-while-standin-PNMNPP3-2-1024x683

Você provavelmente já ouviu falar muito sobre Fobias, mas você sabe o que elas realmente são?

O conceito de “Fobia” vem do grego “fobos”, que traduz-se de forma literal como “medo”. E, basicamente, fobias são medos, porém medos que se manifestam de forma incontrolável, das quais o indivíduo não consegue evitar ou se esquivar. Uma pessoa com Claustrofobia, por exemplo, não pode evitar de se sentir sufocada quando entra em algum lugar apertado!

Dessa forma, separamos em duas partes, as 15 fobias que são mais comuns, para que você tenha um conhecimento geral sobre elas, e essa é a parte 2:

Hemofobia: Medo de sangue. Você provavelmente já ouviu falar de pessoas que desmaiam ao ver sangue. Isso se caracteriza pelo Hemofobia. Algumas pessoas sentem um medo descontrolado de sangue, que as fazem fugir ou desmaiar quando entram em contato com esse fluido, ou algo que lembra o mesmo.

Escotofobia: Medo do escuro. Essa fobia se decorre de resquícios evolutivos, de quando nossos ancestrais não podiam se movimentar pelo escuro para não serem surpreendidos por predadores ou sofrerem acidentes. Hoje em dia, por conta disso, quando olhamos para o escuro, nosso cérebro não interpreta muito bem o que há ali, e isso nos causa desconforto. Porém, para um Escotofóbico, isso se torna um medo incontrolável.

Coulrofobia: Medo de palhaços. Apesar de parecerem inofensivos, os palhaços podem assustar muito algumas pessoas. Essa fobia tem origem em traumas de infância, que são trazidos de volta quando elas veem algo que as remete infância, como a imagem do palhaço.

Tripofobia: Medo de buracos. Apesar de parecer estranho, o medo de buracos é mais comum do que se pode imaginar. Essa fobia pode causar um medo de buracos maiores, como poços, mas se caracteriza por padrões de buracos menores, como uma colmeia de abelhas. O principal motivo pra isso, são resquícios evolutivos que faziam nossos ancestrais evitarem animais com esse aspecto esburacado na pele, por serem peçonhentos.

Aracnofobia: Medo de aranhas. Uma das fobias mais comuns, também tem origem na evolução, quando o homem evitava as aranhas por serem peçonhentas e pela habilidade de se esconder facilmente, se tornando um perigo silencioso. Alguns filmes da década de 80, que colocavam aranhas como monstruosidades, também contribuíram para aumentar o senso de medo contra esses animais.

Fobobia: Assim como a Agorafobia, a Fobobia é o medo do medo. Apesar de semelhantes, diferente da Agorafobia, o indivíduo Fobóbico não tem restrições de locais abertos, ou de ficar sozinho. Ele apenas associou uma questão de ansiedade e pânico, a própria possibilidade de se sentir ansioso ou em pânico, o que faz com que ele se sinta ansioso e entre em pânico. Parece irônico, mas acontece.

Tanatofobia: Medo da morte. Apesar de todos os seres humanos um dia temerem a morte, os tanatofóbicos podem passar por crises existenciais e ficar paralisados por horas, por não conseguirem lidar com a ideia do fim.

Cinofobia: Medo de cães. Também um resquício evolutivo, o medo de cães pode derivar-se de muitos locais, mas o mais aceito hoje é da presença de cães selvagens por toda nossa evolução, que representavam um perigo aos nossos ancestrais. Pessoas Cinofóbicas podem realmente travar até mesmo com a visão de um pequeno filhote, dependendo do grau da fobia.

Se você acha que se enquadra em um desses casos, ou conhece alguém que se encaixe, não deixe de buscar ajuda! A psicanálise possui grandes métodos de combate as fobias, que podem te proporcionar uma grande liberdade.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest