A neurose é um quadro clínico atípico definido por sentimentos e emoções predominantemente negativas, elas são resultados de experiências, sejam elas vivências, traumas ou recalques, e o quadro se dá início a partir do nascimento do sujeito, já com fatos ocorridos na primeira infância.
Indivíduos neuróticos possuem grandes apreensões sobre tudo a sua volta. Além disso, são emocionalmente vulneráveis e não reagem bem a mudanças ou críticas.

Para compreender melhor, vamos citar alguns sintomas de neuroses comuns, mas vale ressaltar que os eles variam de acordo com a singularidade de cada indivíduo, mas que caso surjam, podem indicar sinais de alerta:
– Medo de situações comuns do cotidiano
– Alterações de humor sem motivo aparente
– Grande preocupação que se mantém mesmo sem uma causa especifica
– Traços de histeria
– Fobias .
– Ansiedade.
– Sensação de vazio e não pertencimento.
– Paranoia.
– Isolamento social.
– Apatia.
– Insônia.
– Pessimismo.
– Angústia.
– Melancolia.

A psicanalise reconhece diversos tipos de neurose, classificadas como a de angústia, a de abandono e a familiar e algumas delas

são conhecidas como:
Neurose de Destino
Neurose do Fracasso
Neurose Narcísica
Neurose Traumática
Neurose Mista
Neurose de Caráter
Neurose de Compensação
Neurose Depressiva
Neurose Histérica Dissociativa e a de Conversão
Neurose Obsessiva Compulsiva
Neurose Fóbica

As neuroses podem ser tratadas em psicoterapias, buscando no histórico do paciente a raiz dos maus sentimentos e pensamentos, traduzindo angústias em palavras e solucionando cada bloqueio emocional. A dor, a tristeza, e dias cinzentos não precisam ser uma realidade de vida mas para isso é necessário combater aos sintomas, e proporcionar ao paciente uma vida tranquila e normal.
Uma vida emocionalmente equilibrada e estável é o que todos deveriam provar, e para isso a psicanálise por meio do autoconhecimento busca oferecer uma inteligência emocional que promova ferramentas para vencer os traumas do passado e proporcione uma vida cotidianamente leve.