A Psicanálise foi criada por Sigmund Freud (1856-1939), médico e neurologista austríaco, no fim do século XIX, na década de 1890. Trata-se de um método para tratar desequilíbrios psíquicos a partir da investigação do inconsciente, tratado como uma realidade no plano psíquico.

Inscreva-se gratuitamente em nosso I Congresso Online de Iniciação à Psicanálise- Vagas Limitadas.

“O inconsciente é a verdadeira realidade psíquica”. (Freud)

Para falarmos de psicanálise é preciso compreender o conceito de inconsciente introduzido por Freud, uma vez que é o objeto de estudo da Psicanálise.

Enquanto médico, Freud buscava encontrar um tratamento efetivo para seus pacientes que apresentavam sintomas histéricos. Na época, o trabalho do fisiologista Josef Breuer, que usava o método da hipnose, foi grande fonte de inspiração, embora mais tarde Freud tenha substituído o uso desta técnica pela associação livre.

Através de conversas com seus pacientes, Freud descobriu que a origem dos sintomas estava relacionada com a repressão de desejos e fantasias sexuais, levando-o a introduzir o conceito de inconsciente e a cura pela fala. Ali surgia a Psicanálise.

Embora Leibniz e Hegel tenham utilizado o termo inconsciente antes de Freud, o conceito introduzido por ele traz em si uma originalidade, uma vez que propõe uma realidade psíquica que tem como base o inconsciente. O inconsciente para Freud é uma instância psíquica que exerce forte influência na constituição da personalidade.

O inconsciente e a sexualidade: bases da teoria psicanalítica

A sexualidade, para a psicanálise, é a fonte do comportamento humano, e reina no inconsciente, motivando a realização pessoal como também distúrbios emocionais profundos. Nela podem estar contidas as raízes das neuroses, psicoses e outros desvios de personalidade.

Segundo Freud, as perturbações de ordem emocional originam-se em vivências sexuais marcantes e perturbadoras o suficiente para serem reprimidas no inconsciente. Essa energia contida, denominada libido, encontra sua forma de expressão na consciência, sob a forma de sintomas.

Na época da criação da Psicanálise, Freud causou um choque moral com suas ideias a respeito da sexualidade, no entanto, trouxe uma enorme contribuição no conhecimento do homem, fazendo com que a sociedade rompesse tabus e preconceitos na compreensão da sexualidade.

Para a Psicanálise, nossos comportamentos e sentimentos são regidos pelo inconsciente. Segundo Freud, o inconsciente é a fonte de desejos e fantasias sexuais reprimidos. E só é possível conhecermos as formações do inconsciente através de atos falhos, chistes, sonhos e sintomas, abordados em um processo analítico, através da fala.

Freud utilizou a autoanálise na tentativa de abordar o inconsciente, analisando rigorosamente seus sonhos e também os de seus pacientes.

A Teoria psicanalítica para além de Freud

A psicanálise, além de ser um método de tratamento da psique, é também um método de pesquisa. Para compreender melhor os princípios da Psicanálise, recomenda-se a leitura dos artigos “Interpretação dos Sonhos” e “Psicopatologia da Vida Cotidiana”. No artigo “Três ensaios sobre a teoria da sexualidade” podemos conhecer também os esboços básicos da teoria psicanalítica.

Depois de Freud, muitos psicanalistas, como Erich Fromm, Carl Jung, Lacan, Melanie Klein, J.B Pontalis, Wilfred Bion, Donald Winnicot, Jean Laplanche, entre outros, continuaram suas pesquisas, contribuindo para o crescimento do corpo teórico da Psicanálise.