A palavra “mestre”, etimologicamente deriva do latim “magister” , que significa professor, ou seja, aquele que professa algo, que se dedica à arte de ensinar.

No entanto, hoje em dia, esse vocábulo tem apresentado outros inúmeros sentidos, tais como: alguém que concluiu um curso de mestrado em alguma área do saber e/ou que exerce a profissão de: mestre-escola, mestre de obras, mestre-cuca, mestre-sala, mestre de cerimônias etc.

Em termos educacionais, ser mestre não se restringe apenas a possuir um título/grau acadêmico de mestrado concedido por uma instituição de Educação Superior (VELLOSO e VELHO, 2001). Ser mestre é bem mais do que apenas ensinar, transmitir aos alunos determinados o conhecimento. É também saber caminhar com os educandos passo a passo, perfazendo os segredos da caminhada da escola da vida e da vida escolar.

Ser mestre é dominar um certo de campo do conhecimento, instrutor, orientador, guia, conselheiro, mediador, pacificador, amigo e companheiro. É sonhar o sonho dos alunos e ser exemplo de dedicação, respeito, doação, ética, moral, humildade, paciência, justiça, amor ao próximo, dignidade etc. É ser um pouco de profeta, poeta, pai, mãe, irmão, terapeuta, psicanalista entre tantas outras coisas (…).

Ser mestre é ser muito mais do que apenas bacharel, licenciado, professor, docente ou educador. Ser mestre é saber trocar experiências, alegrar-se com as conquistas dos alunos e apoiá-los em suas angustias e suas dores.

Nesse contexto, o mestre  que caminha à luz da vida, rodeado de alunos não dá somente de sua sabedoria (conhecimento teórico e prático), mas também de sua fé e ternura. Se ele for verdadeiramente sábio, nunca os convidará a entrar no recôndito de seu saber; mas, antes, os conduzirá ao conhecimento de suas próprias almas. Sendo assim, pode-se dizer que mestre não é aquele que simplesmente apresenta um caminho novo, mas aquele que mostra como algo novo o jeito de caminhar.

Nós da Insight Psicanálise, assumimos com amor e afinco o grande desafio que constitui o ato de ensinar, e de fazer dos nossos alunos o centro de nossa missão como ASSOCIAÇÃO PSICANALÍTICA, respeitando-os como seres únicos e ajudando-os a caminhar de modo independente pelas estradas da vida.

Nós entendemos o  quão difícil e gratificante é a tarefa de ser mestres, e porisso em nosso curso de Formação de Mestres em Psicanálise Clínica, entre tantas outras competências,  procuramos trabalhar em cada aluno a humildade intelectual, para que jamais sejam levados pela soberba ao deter um conhecimento mais elevado que os outros.  A exemplo de Sócrates, que foi um grande sábio grego (AC). Ele foi um dos fundadores da filosofia. Acreditamos que o que levou Sócrates a se tornar um dos maiores filósofos de todos os tempos foi a humildade intelectual! Uma das mais célebres e conhecidas frases de Sócrates é: “Só sei que nada sei!”. Este reconhecimento de que nada sabia levava Sócrates a questionar as coisas, a duvidar, a questionar os conceitos pré-estabelecidos, fazendo-o reconhecer as falácias (argumentos falhos, inválidos) e aproximando-o do conhecimento verdadeiro. A história da filosofia é dividida entre antes e depois de Sócrates (pré-socráticos e pós-socráticos).

Sabemos que formar mestres é uma tarefa de extrema importância. Formar mestres é fazer parte da história de ontem, de hoje e do amanhã. Enfim, ser mestre é ser um pouco de tudo isso e muito além disso (…). “É ser o início, o meio e nunca o fim” (SANTOS, 2012, p.92). Eis, portanto, o verdadeiro sentido de ensinarmos Psicanálise Clínica.

Este site faz uso de coockies.
x