Criada em 1890 pelo médico neurologista Sigmund Freud, a psicanálise é um dos campos de estudo da psique humana que mais evoluiu nas últimas décadas e que vem despertando o interesse de muitas pessoas em função de suas aplicações, teorias e métodos de tratamento.

Quando falamos de evolução, muitos aspectos devem ser considerados, principalmente no que tange às questões socioculturais e políticas nas sociedades. Assim, podemos identificar as limitações e os desafios que os primeiros cientistas tiveram que enfrentar em suas pesquisas, seja pela falta de recursos, ferramentas e objetos de estudo, como também pela dificuldade de acesso às fontes teóricas e limitações nas áreas da comunicação.

Neste artigo, vamos entender um pouco sobre a evolução da psicanálise para que seja possível traçarmos uma pararelo entre o passado e o presente desse método que trata distúrbios mentais por meio da investigação do insconsciente.

Freud: o ego humano e a análise clínica da fala

Logo nos primeiros anos de aplicação, os métodos de tratamento propostos pela psicanálise já demonstravam uma grande mudança na consideração dos sintomas característicos da psicose e da neurose.

Tudo começou quando Freud apresentou, em suas teorias, a afirmativa de que “os seres humanos não são agentes racionais de suas próprias vidas, uma vez que estão sob a influência constante de forças inconscientes das quais não possuem total controle”.

Tal conclusão foi a base de desenvolvimento da psicanálise e dos métodos de cura propostos em sua aplicação. Vale ressaltar também a percepção que Freud teve sobre os desejos e fantasias repreendidos por seus pacientes, no qual o inconsciente passava a tomar forma nas ações dos indivíduos.

O ego humano também foi objeto de estudo de Freud e está presente na psicanálise como o entendimento que as pessoas têm de si próprias e de suas relações na vida social, já que muitas vezes é difícil aceitar a negativa e a retórica do pensamento.

Freud percebeu, portanto, que era preciso expor todos esses sentimentos por meio do diálogo, pois essa seria a libertação da mente e do corpo para que fosse possível a absorção das práticas propostas pela psicanálise, que trabalham a reflexão das questões subentendidas da existência.

A evolução da Psicanálise

A partir de Freud, outros autores e estudiosos da psicanálise trouxeram contribuições aos conceitos teóricos e aos métodos de tratamento utilizados até então.

Podemos citar a difusão da psicanálise quando tentamos entender melhor seu processo evolutivo, pois hoje ela representa uma das áreas mais importantes da saúde humana e é exercida em praticamente todos os países.

A psicanálise evoluiu também nos serviços públicos de saúde, nas clínicas particulares e na internet, seja com os cursos, os artigos científicos publicados e as sessões que ocorrem no ambiente virtual, uma opção aos pacientes que apresentam certa resistência aos consultórios ou que preferem esse canal de comunicação ao invés do encontro presencial.

A propagação dos conceitos da psicanálise ajuda a desmistificar uma visão preconceituosa de seus métodos de tratamento, que são indicados para quadros de distúrbios psíquicos e também às pessoas que passaram por algum trauma ou frustração ainda não curadas que podem desencadear a baixa autoestima e a depressão.

Falar sobre a evolução da psicanálise será algo constante e isso é muito importante, pois a saúde da mente é fundamental para que possamos viver com qualidade diante das influências que sofremos diariamente em nossas relações nos mundos interno e externo.

Quer saber mais sobre esse tema? Então clique aqui e confira um artigo especial a respeito da teoria e dos métodos referentes à psicanálise.

Continue acompanhando nosso blog e conheça os cursos que a Insight Psicanálise oferece em sua plataforma virtual de aprendizagem!

Este site faz uso de coockies.
x