O tabu do “suicídio” sempre foi muito recorrente na sociedade, por muitos anos essa prática era tratada com desdém e seria uma forma de punição pelos pecados, no qual o seu ato marcaria a condenação eterna perante Deus. Mesmo agora, no século XXI, o suicídio tem um tratamento indiferente, mas que vem sempre aparecendo nos noticiários e entrando com frequência nas nossas discussões do dia a dia.

Recentemente, houve muitos debates cercando o tema quando chegou ao conhecimento mundial a existência de um jogo chamado “A baleia azul”, no qual induzia os jogadores a fazerem desafios todos os dias e ao fim, tirarem a sua própria vida.

O que é A Baleia Azul?

Esse jogo tem uma fantasia sedutora, atrai os jovens na sua adolescência, fase esta em que eles mais se sentem “perdidos” e, muitas vezes, incompreendidos, onde buscam estar longe dos adultos, em especial dos pais, e acreditam não terem nenhuma importância para a família. Eles se veem como uma peça errada no quebra-cabeças do mundo, da realidade e procuram incessantemente estarem aptos a se adequar em grupos para serem aceitos na sociedade e quando alguns não conseguem isso, se isolam e dão espaço a pensamentos e atos negativos que prejudicam a sua vida.

É em meio a todas estas frustrações que o jogo da Baleia Azul se mostra encantador, tem uma proposta de compreensão que os adolescentes não encontram nos relacionamentos em casa ou na escola, por exemplo. Os convence de que participar dos desafios é a melhor forma de se entrosar em algum grupo, de achar a solução dos seus problemas. Os seus criadores causam uma falsa impressão de que estão sempre disponíveis para ouvir os problemas destes jovens e demonstra entusiasmo para ajuda-los a resolver.

Pessoas que já possuem diversos transtornos e uma mente enfraquecida por pensamentos nocivos são um campo ideal para a implementação e o convencimento de que a realização destes desafios é o melhor caminho para a cura e a solução de tudo que está errado na sua vida. É neste ponto que a psicanálise entra, na tentativa real de ajudar o próximo, para que estes adolescentes consigam se reencontrar.

Como conseguir ajudar esses jovens?

Inicialmente, é necessário que os pais estejam atentos aos seus filhos, o que eles fazem, com quem e como fazem. A origem é sempre conflitos dentro de casa e é dentro delas que deve começar a solução. Os profissionais sempre alertam para que seja feito uma intervenção dentro da relação familiar.

Tentar conhecer mais das frustrações e pensamentos dos filhos, os seus desejos e se aproximar ao ponto de conseguir conhecer o seu dia a dia são tarefas importantes, mas que nem sempre é tão simples devido à resistência da “privacidade” dos adolescentes. É importante aconchegar e manter uma relação pacífica com eles para conquistar a sua confiança.

Representações da baleia azul

A baleia representa o inconsciente e azul é uma cor que traduz mistério, que pode simbolizar um céu claro, estando semelhante à cor da vida, a luz de viver e, ao mesmo tempo, estar associada à morte e tristeza profunda. É fácil perceber o real significado então do jogo, onde cria um universo fantasioso para atrair pessoas que estão debilitadas mentalmente e são muito propícias a realizar as fases do jogo.

As tarefas propostas pela Baleia Azul têm fundamentos em automutilações e ficar acordado a noite inteira ou dormir muito pouco, o suficiente para ficar com a mente cansada para conseguir concluir todas as 50 fases, e, por fim, cometer suicídio. Depois de identificar alguém que esteja participando ou deseja participar deste jogo, é imprescindível a conversa com os pais e familiares para começar uma orientação, importante também procurar a ajuda de profissionais para entender as origens das frustrações e pensamentos negativos que pairam sobre a mente desse jovem.

Se você quer entender mais sobre a Psicanálise que auxilia no tratamento destes e outros transtornos da mente, leia mais artigos como este e conheça os nossos cursos aqui.